Antônio Silva Cordovil, o "Tonico", está preso desde o dia 20 de abril, quando foi encontrado no Ceará.

Assim que chegou em Belém, o suspeito foi encaminhado a uma unidade prisional do estado.

Amintas Pinheiro foi morto na avenida Centenário Arquivo Pessoal O homem suspeito de ser o mandante do assassinato do empresário Amintas Pinheiro, em Belém, chegou à capital paraense no final da manhã desta sexta-feira (3).

Antônio Silva Cordovil, o "Tonico", está preso desde o dia 20 de abril, quando foi encontrado no estado do Ceará.

Assim que chegou em Belém, o suspeito foi encaminhado a uma unidade prisional do estado. O empresário Amintas Pinheiro foi atingido por vários disparos enquanto chegava em sua residência.

Segundo a Polícia, a vítima ainda foi socorrida e levada a um hospital particular, mas não resistiu aos ferimentos e morreu.

O empresário era marido da deputada estadual Nilse Pinheiro.

Antônio Cordovil, que chegou em Belém nesta sexta (3) foi o sexto envolvido na morte do empresário preso pela Polícia.

Antes dele, cinco pessoas já haviam sido presas por envolvimento no crime.

A primeira ocorreu ainda em fevereiro.

Elenilson Ramos Farias, conhecido como "Loirinho", foi preso no distrito de Icoaraci, em Belém.

Ele participou do crime dirigindo o veículo que levava os demais acusados.

O carro de Max Sousa da Silva, utilizado na ação, já foi apreendido, e Max está preso.

A terceira prisão foi de Anderson Lima Pacheco, o "Pelado", acusado de ser o executor da vítima.

Em seguida, a Polícia prendeu Lucas Araújo e Souza, o "Bulldog".

Ele é suspeito de pilotar uma das motos que atuou na fuga de Pelado.

A moto de Lucas, utilizada no crime também foi apreendida. A quinta prisão foi de Tiago Francisco Silva foi detido no município de Igarapé-Miri, na região do Tocantins.

Ele também teria atuado como piloto de fuga no crime.