Silva pôs o bloco na rua ao longo deste ano de 2019. Disposto a manter o público que conquistou a partir de 2015 com o show e disco em que aborda o repertório de Marisa Monte e com o quinto álbum, Brasileiro (2018), o cantor e compositor capixaba foi atrás da massa real em show, Bloco do Silva, de atmosfera carnavalesca.

Com roteiro pontuado por hits da época de ouro da axé music, o show deu certo e acabou sobrevivendo ao período da folia, arrastando multidões pelo Brasil. Tanto que, já de olho na temporada pré-carnavalesca de 2020, o artista lança nesta quinta-feira, 14 de novembro, o álbum Bloco do Silva ao vivo.

Posto no mercado fonográfico através do selo slap, que prevê edição em CD com 14 das 19 faixas da edição digital, o disco integral alinha 20 músicas em 19 números do show, captados em 3 de agosto na passagem da turnê nacional do Bloco do Silva por Vitória (ES), cidade natal do cantor.


A gravação ao vivo do show contou com a participação de Daniela Mercury – cantora referencial do universo pop baiano da axé music – na música Nobre vagabundo (Márcio Mello, 1996).

Eis, na ordem do disco, as 20 músicas alinhadas nas 19 faixas do álbum Bloco do Silva ao vivo:

1. A cor é rosa (Lúcio Silva e Lucas Silva, 2018)

2. Me abraça (Jorge Xaréu e Roberto Moura, 1995)

3. Ara Ketu bom demais (Dinha, 1994)

4. Alô, paixão (Jorge Xaréu, 1994)

5. Eu também quero beijar (Moraes Moreira, Pepeu Gomes e Fausto Nilo, 1983)

6. Meia lua inteira (Carlinhos Brown, 1989)

7. Não enche (Caetano Veloso, 1997)

8. Toda menina baiana (Gilberto Gil, 1979)

9. Tá tudo bem (Alexandre Peixe, 1999)

10. Mal acostumada (Meg Evans e Ray Araújo, 1997)

11. I miss her (Lázaro Negrume, 1997)

12. Uma brasileira (Herbert Vianna e Carlinhos Brown, 1995)

13. Fica tudo bem (Lúcio Silva e Lucas Silva, 2018)

14. A luz de Tieta (Caetano Veloso, 1996)

15. Beleza rara (Ed Grandão e Nego John, 1996)

16. Diga que valeu (Fredson, 1999)

17. Nobre vagabundo (Márcio Mello, 1996) – com Daniela Mercury

18. Prefixo de verão (Beto Silva, 1990) / Baianidade nagô (Evandro Rodrigues, 1991)

19. Deusa do amor (Adaílton Poesia e Valter Farias, 1992)

Deixe seu Comentário